24 de jun de 2009

Verduras ficam mais saudáveis com bronzeamento ultravioleta

Verduras bronzeadas

Sabores à parte, uma porção de espinafre tem mais valor nutricional do que uma montanha de alface. Isto porque as cores mais escuras nas verduras folhosas são frequentemente sinais de antioxidantes que se acredita oferecerem uma série de benefícios para a saúde.

Agora, uma equipe de fisiologistas norte-americanos desenvolveu uma técnica para tornar os vegetais mais escuros e mais avermelhados - e, portanto, mais saudáveis - usando LEDs, pequenas lâmpadas de estado sólido, semelhantes às usadas nos aparelhos eletrônicos.

Compostos polifenólicos

O processo, que consiste em uma espécie de bronzeamento dos vegetais, utiliza LEDS que emitem luz ultravioleta, imitando a radiação natural emitida pelo Sol. Os raios ultravioleta forçam as folhas a desenvolverem compostos polifenólicos em sua camada externa de células, os quais absorvem essa radiação.

Alguns desses compostos são vermelhos e pertencem à mesma família que dá cor à casca da maçã. Eles ajudam a bloquear a radiação ultravioleta, que podem alterar o DNA da planta e atrapalhar a fotossíntese que permite que a planta gere seu alimento.

Dietas ricas em antioxidantes

Os compostos polifenólicos, que incluem flavonóides como a quercetina e cianidina, são também poderosos antioxidantes. Os pesquisadores acreditam que dietas ricas em antioxidantes trazem uma série de benefícios à saúde humana, desde melhoria das funções cerebrais até o retardamento dos processos de desgaste e envelhecimento do organismo.

Depois de aplicar a luz dos LEDS com uma potência de 10 miliwatts por metro quadrado de plantação, os pesquisadores documentaram um forte incremento na cor avermelhada das verduras depois de 43 horas.

"Nós ficamos agradavelmente surpresos em ver como os LEDs são eficazes e agora nós estamos testando os níveis de exposição mais adequados, e se a luz deve ser contínua ou pulsada," diz o pesquisador Steven Britz.

Conservação de verduras já colhidas

Britz e seus colegas já descobriram os comprimentos de onda da luz ultravioleta que oferecem os melhores resultados - entre 282 e 296 nanômetros - e agora vão comparar a intensidade da luz que deve ser aplicada em cada estação do ano.

Os pesquisadores planejam também pesquisar o uso dos LEDs ultravioleta para melhorar a conservação das verduras já colhidas.

Nenhum comentário: