18 de dez de 2010

Férias, o momento de pensar apenas no tempo presente.

Hipocampo é responsável pelo estresse gerado no cumprimento de prazos.
Férias relaxam e ajudam o hipocampo a dar atenção apenas ao trivial.

http://1.bp.blogspot.com/_sZkzXbAkbNQ/S8rZz8xxZNI/AAAAAAAAABo/fN1__vroUbY/s400/liberdade.JPG

Os livros da escola ainda teimam em dizer que o sistema nervoso é o conjunto de órgãos que nos permite detectar estímulos e responder a eles. Fosse apenas isso, não precisaríamos tirar férias: como bactérias, plantas e tantos outros seres desprovidos de cérebro, viveríamos eternamente no presente, docemente ignorantes do nosso futuro. No entanto, temos um cérebro tão capaz que consegue até encontrar problemas onde ainda não há nenhum, preocupando-se com o que provavelmente – mas só provavelmente – está por vir. Lembra do passado, revive agruras e infortúnios, faz o que pode agora para que eles não aconteçam novamente; desenvolve projeções para o futuro, tentando adivinhá-lo, e assim guia nossos passos.

Graças ao cérebro, somos seres dotados de passado e futuro – mas isso tem um preço: a ansiedade, essa capacidade de nos preocuparmos desde já com o que talvez nem chegue a acontecer. A ansiedade é um exemplo de quão cruel conseguimos ser com nós mesmos: nosso hipocampo é capaz de manter uma lista de problemas esperados rondando, ativos na memória, como uma agenda interna do que será preciso fazer eventualmente. Quanto mais ativo o hipocampo, mais alto fala em nossos ouvidos essa agenda interna, que ainda ativa um alarme próprio, implacável: o locus coeruleus, “lugar azul” do cérebro que, ao contrário do que o nome sugere, é responsável por nos deixar tensos, acordados, prontos para a ação – e preocupados com problemas por resolver.

Se por um lado pode ser útil antecipar problemas (porque assim nos preparamos de antemão e temos mais chances de resolvê-los), lidar todo dia com uma longa lista deles – trabalhos a entregar, prazos a cumprir, roupas a lavar, compras a fazer, contas a pagar – pode ser exaustivo. O que fazer nessas horas? Resolver os problemas ajuda, mas em geral fazemos isso só para então descobrir que outros apareceram em seu lugar. A opção, bem-vinda após períodos de grande ansiedade, é decretar, temporariamente, que problemas futuros não existem, ou no mínimo podem ser ignorados com segurança por alguns dias.

A esses preciosos dias de alienação mental damos o nome de... férias. Ah, a doce sensação de viver somente no presente, ainda que por poucos dias! Em férias de verdade, as únicas preocupações que o hipocampo representa para o resto do seu cérebro são imediatas e triviais: onde almoçar, qual praia ou museu visitar, qual das redes da varanda oferecer a melhor combinação de vento e sombra ou que livro ler primeiro. Reconhecer que tiramos férias da nossa capacidade de viver antecipando os problemas do futuro ajuda a planejá-las, ou pelo menos a evitar autossabotagens. Portanto, nada de levar computador para resolver de longe os problemas do escritório; celular deve ser só para ligar para fazer a reserva do restaurante. Avise no trabalho e em casa que você não vai poder atender o telefone. Emergência? SMS existe para isso. E nada de maratonas do tipo “Europa-inteira-em-uma-semana”, pois só serviria para arranjar mais ansiedade.

E se não der para tirar duas boas semanas de férias... Que tal aprender a transformar cada fim de semana em miniférias em casa, no presente, sem preocupações com o trabalho da semana seguinte ou com os prazos a cumprir? Não é tão difícil quanto parece; experimente começar desligando o computador e deixando os e-mails para a segunda-feira. Afinal, você merece – e ainda tem chances de começar a semana revigorado, e até se esmerando ainda mais naquilo que não pôde fazer nas suas miniférias: trabalhar!

17 de dez de 2010

Fadiga pode desencadear doenças como hipertensão, fobias e gastrite.

Também conhecida como estafa, ela pode ter origem física ou emocional.
Relação dos sintomas e principais tratamentos.

http://4.bp.blogspot.com/_fpgoKPvM3Mg/TPOu3_D3PaI/AAAAAAAAABc/9D-niPwUEw4/s1600/20060507071407-cansado.jpg

Desânimo sem explicação aparente, dores no corpo, falta de motivação para continuar aquela atividade de que tanto gosta e uma vontade enorme de ir embora logo após chegar ao trabalho. Se você está com algum desses sintomas, fique de olho, pode ser estafa.

De origem emocional ou física, ela pode atingir crianças e adultos e compromete o desempenho na escola, no trabalho e na relação com as demais pessoas no dia a dia, tornando todas as atividades, antes prazerosas, em obrigações desgastantes e chatas. Por alterar todo o funcionamento do organismo, pode desencadear outras doenças como hipertensão, fobias e ansiedade, problemas cardíacos e gastrite. "Se você ficar acumulando tensões e cansaço, vai virar uma panela de pressão e uma hora ela explode e faz um estrago maior", alerta o fisiologista da Unifesp, Claudio Pavanelli.

"A estafa pode ser física (periférica) ou mental (central) e está muito ligada a rotina que o paciente leva, por isso, antes de prescrever qualquer medicamento, pergunto se ele tem dado conta de todos os afazeres que estão sob sua responsabilidade ou se ele está passando por algum problema afetivo, só assim é possível tratar o problema", explica Claudio.

Treino, caminhada, corre-corre com as crianças e muito cansaço. Mais popularmente conhecida como fadiga, a estafa periférica se caracteriza por dores musculares e cansaço físico ocasionados principalmente pela combinação entre desgaste excessivo (sem respeitar o tempo de recuperação) e pela má alimentação. "Não tem quem suporte esse ritmo frenético, é fadiga na certa", explica o fisiologista. "Nestes casos, o tratamento é uma mudança radical na rotina e na alimentação. Geralmente estas duas ações resolvem o problema", continua. "Se não for tratada, pode desencadear outras doenças como: anemia, prisão de ventre, diarreia e até queda de cabelo", diz Claudio.

Mente e corpo em equilíbrio

A forma mais comum da estafa é a fadiga mental. Caracterizada pela alteração do sistema nervoso central, ocorre em função do excesso de responsabilidades e tensões acumuladas que provocam um desgaste metabólico e mental muito grande. "O cansaço mental é tamanho que o paciente chega a sentir dor física. As pressões psicológicas se refletem no corpo", explica o fisiologista. "Neste caso, a melhor indicação é o relaxamento. É preciso rever a maneira como lidamos com os nossos problemas e frustrações. Às vezes, uma mudança simples de postura pode te livrar de um dano maior a saúde", continua.

"A estafa mental é muito mais grave do que a física porque tende a causar danos psicológicos e físicos. Caso não seja tratada adequadamente pode provocar doenças como: falha de memória, insônia, irritabilidade, desânimo, tristeza profunda e angústia", explica Claudio.

Estresse x estafa

Muita gente confunde, mas estafa e estresse são problemas diferentes. Algumas diferenças ajudam a diferenciar os dois quadros. A fadiga ou estafa é um sintoma do estresse, mas não a a sua causa. No estresse, a intensidade da fadiga é maior e a maneira como nosso organismo reage a estes sintomas é bem diferente. Enquanto a estafa pode ser tratada com mudanças de hábitos ou tratamento médico, o mesmo não ocorre com o estresse, uma espécie de estágio crônico das duas formas de fadiga. "O grau de irritabilidade e da dor sentida no estresse é maior, além disso, o estresse é muito mais mental do que físico, por isso, não adianta usar os mesmos procedimentos. É uma questão de intensidade e durabilidade da fadiga", explica Claudio.

Estafa central ou mental

Sintomas: Falha de memória, Insônia, Irritabilidade e choro com facilidade, Desânimo, Tristeza e angústia, Azia, má-digestão, Palpitação e Diminuição do desejo sexual.

Tratamento: Relaxar é o lema para curar a estafa. "Muitas vezes o tempo que se "perde" indo ao cinema ou em um parque, por exemplo, é um ganho de saúde e bem-estar. Saiba aproveitar os momentos de lazer, Converse sobre os problemas com os amigos ou com um profissional, Cultive o bom humor, Aprenda a relaxar, Não faça várias tarefas ao mesmo tempo, Procure resolver um problema de cada vez, Organize suas prioridades, Não leve preocupações do trabalho para casa.

Estafa periférica ou física

Sintomas: Dores no corpo, Apatia, Baixa resistência imunológica e distensão muscular.

Tratamento: Pratique atividade física com moderação, Respeite o ritmo de seu corpo e procure ter uma alimentação balanceada e saudável.

Doenças causadas tanto pela estafa mental quanto pela física.

- Hipertensão arterial (pressão alta)
- Doenças emocionais (ansiedade, pânico, fobias)
- Doenças gastrointestinais (colite, gastrite e úlcera)
- Doenças do coração (arritmia, angina e infarto)

15 de dez de 2010

Pulseira de equilibrio, já experimentou?

O que jogadores de futebol, ginastas olímpicos, tenistas, skatistas e atletas de outras modalidades tem em comum?
http://www.educacaofisica.com.br/destaques/home/imagens/0812_22.jpg

Além de dedicar horas para desenvolver as próprias habilidades, provavelmente, você irá identificar que alguns deles estão usando uma pulseira de silicone. Diferente de outras comercializadas até há alguns anos atrás, que serviam de confirmação na aderência em alguma causa nobre, como o combate ao câncer ou a defesa do meio-ambiente. Hoje a nova pulseira da moda, agora denominada Pulseira de Equilibrio oferece algo que muitos atletas, profissionais ou amadores almejam e que interfere na performance.

O teste mais simples e comum para demonstrar os benefícios da Pulseira de Equilibrio é até interessante. Manter-se em pé apoiado por apenas uma das pernas, com os braços estendidos - imitando um avião - uma outra pessoa aplica força em um dos braços. De inicio sem a pulseira depois com ela, fazendo em seguida o comparativo. E a partir dai se tem as primeiras impressões sobre o "equipamento". E geralmente a experiência é positiva.

Holograma e física quântica

Todos os efeitos segundo os fabricantes se deve à tecnologia presente em um holograma fixado na pulseira. As explicações sobre o funcionamento variam entre "freqüências energéticas que alinham o corpo" e o uso da "física quântica". Ambas as afirmações são contestadas por boa parte dos estudiosos da física e por profissionais responsáveis pela fabricação de hologramas com outros fins.

A teoria da física quântica é complexa, mas ajudou a desenvolver diversos produtos que usamos no nosso cotidiano. Ouvir músicas em CDs é uma delas - que esta até ultrapassada. Já os hologramas, que são impressões feitas com laser e reagem a exposição de luz, são utilizados para garantir a fabricação de um produto por uma determinada empresa.

Psicologia, placebo e moda

Dores crônicas diminuem até desaparecer, jogadores de tênis melhoram a performance no saque e corredores aumentam o ritmo em uma prova e não se sentem cansado. Se as respostas sobre a tecnologia aplicada, até então, não justificam os resultados, o que acontece?

O efeito placebo é conhecido por diversos profissionais da área de saúde. Na pesquisa cientifica é usado para atestar os resultados de algum medicamento. Dois comprimidos, um deles com a substância a ser estudada e outro com um material parecido, geralmente farinha, são ministrados e com isso nota-se os resultados. O interessante nesse tipo de teste é que algumas pessoas relatam resultados com o uso da farinha. A isso damos o nome de Efeito Placebo. Nesse caso o paciente acredita tanto na eficácia do remédio que, dentro de limites restritos, a esperança se transforma em bioquímica.

No esporte, é comum ouvirmos sobre números da sorte, peças de roupa intimas que oferecem proteção e outras coisas. Todas tem em comum além de serem superstição o Efeito Placebo. Não é difícil lembrar de filmes sobre esportes, onde no final se descobre que o "liquido mágico" que o ator/esportista havia ingerido para garantir um resultado nada mais era de que água comum.

A "crença na crença" gera resultados em alguns casos. Você acredita tanto que algo esta te ajudando, que em conseqüência adquire mais confiança, mais concentração e qualquer outra coisa que melhora a sua performance. Até se confirmarem resultados científicos, não podemos confirmar ou garantir os resultados diretos das pulseiras.

O interessante é ser rigoroso com as situações e materiais que podem interferir com a segurança, a sua e a do seus familiares. Com a pulseira você esta garantindo, com certeza, apenas duas coisas: Uma peça da moda que pode ser encontrada até mesmo em jóias de metal e couro; a outra coisa é um bom motivo para conversar sobre o seu esporte predileto.

13 de dez de 2010

Estudo revela que proteína deve ser ingerida logo após exercício.

Proteína muscular aumentou na mesma proporção em jovens e idosos.
Estudo possui limitações, mas abre margem para futuras pesquisas.

Comer proteína após o exercício pode ajudar a fortalecer os músculos, tanto em homens jovens quanto nos mais velhos, sugere um pequeno estudo.

O estudo analisou 48 homens --metade na faixa dos 20 anos e a outra metade na faixa dos 70-- e constatou que, em ambos os grupos, o consumo de uma bebida de proteína após o exercício levou ao aumento maior da proteína muscular, em comparação à ingestão da bebida depois de um período de descanso.

Além disso, a proteína muscular aumentou na mesma proporção em jovens e idosos, informaram os pesquisadores no "American Journal of Clinical Nutrition".

A pesquisa sugere que, ao contrário do que se pensava, a idade avançada não prejudica a forma como o corpo digere e absorve a proteína dos alimentos, segundo os pesquisadores liderados por Luc JC van Loon da University Medical Center de Maastricht, na Holanda.

O estudo tem uma série de limitações. Além do pequeno tamanho, ele não analisou as alterações da massa muscular ao longo do tempo, apenas as mudanças a curto prazo das proteínas das fibras musculares após a ingestão da bebida. Por isso, não está claro quais tipos de ganhos os adultos mais velhos ou mais jovens possam ter por ingerir proteína pós-treino.

Ainda assim, os resultados sugerem que se exercitar antes do consumo de proteínas pode ajudar o corpo a reservar esses nutrientes para uma maior utilização de fortalecimento muscular, segundo a equipe de van Loon.

E para os adultos mais velhos, o exercício deve "claramente" ser considerado uma forma de impulsionar o acúmulo da proteína muscular em resposta ao alimento --e, por extensão, favorecer um envelhecimento saudável.

O estudo incluiu 24 homens idosos, com idade média de 74 anos, e 24 jovens, com idade média de 21 anos. Nenhum deles praticava exercícios regularmente.

Os pesquisadores escolheram aleatoriamente os homens em dois grupos: em um, os homens descansavam por 90 minutos. Em seguida, faziam exercícios por 30 minutos --pedalando uma bicicleta ergométrica e realizando exercícios leves de fortalecimento. No outro grupo, os homens passaram os 30 minutos adicionais relaxando.

Depois, os homens de ambos os grupos ingeriram uma bebida que continha 20 gramas de proteína e, em seguida, tiveram os níveis de aminoácido no sangue medidos repetidamente. Os pesquisadores também tiraram uma pequena amostra de tecido do músculo da coxa de cada homem, mesmo antes da bebida de proteína, e 6 horas depois, para medir as mudanças na quantidade de proteínas no músculo.

Em geral, van Loon e seus colegas descobriram que a proteína muscular aumentou em maior medida no grupo que se exercitou, e tanto os mais velhos quanto os mais jovens mostraram benefícios similares.

É bem sabido que a massa muscular tende a diminuir com a idade, e alguns pesquisadores propuseram que uma razão pode ser que, em pessoas mais velhas, a produção de proteína muscular pelo corpo responde de forma menos eficiente à proteína do alimento, e também para o exercício.

No entanto, os resultados atuais sugerem que esse pode não ser o caso.

"Abordagens alimentares são necessários para prevenir e atenuar as perdas de massa muscular relacionadas à idade", disse Van Loon.

Com base nestes resultados, ele conclui que é possível que ingerir proteínas após o exercício permite uma maior utilização da proteína derivada de alimentos para a construção muscular, tanto em jovens quanto em velhos.

10 de dez de 2010

Novo ideal masculino exige "barriga tanquinho" mas proíbe excesso de músculos.

Novo padrão estético tem ligação com o conceito de bem estar.
Modalidades de exercícios se adaptam à procura do público masculino.


http://www.educacaofisica.com.br/destaques/home/imagens/0912_24.jpgAlvos de olhares femininos como Cauã Reymond, Rodrigo Santoro e Cristiano Ronaldo estão na mira dos machos. É que eles têm o "corpo do momento".

Agora, o bom é ser sarado, porém, sem exageros. Às vésperas do verão, e em meio à louca busca da "forma ideal", homens passam a habitar um território que já foi quase exclusivo do mulherio.

Eles têm frequentado aulas que antes só faziam a cabeça delas, como pilates e ginástica localizada. Ganha força o treino funcional. São tempos de menos halteres, mais bolas e elásticos.

"Essa nova tendência dá força e trabalha com o conceito do bem-estar. É um corpo masculino mais saudável", afirma o médico Cláudio Silva, ex-presidente da Acad (Associação Brasileira de Academias).

"Não se pensa só no músculo, mas também no coração e nas articulações. Há preocupação com redução do percentual de gordura, o que se traduz em um corpo definido, não tão volumoso."

Nada de gigante

Está mesmo em baixa, no mundinho das academias, o "shape" megamusculoso, conquistado à base de malhação pesada, suplementos e, em alguns casos, anabolizantes (hormônios sintéticos que ajudam os músculos a crescer mais rápido). Até "pit-boys" ( como ficaram conhecidos os lutadores de jiu-jítsu) estão buscando um físico mais esguio.

Hoje, quando um homem chega na academia, raramente pede séries de hipertrofia (para crescimento excessivo da massa muscular), segundo Saturno de Souza, diretor técnico da rede de academias Bio Ritmo.

Souza prevê o fim do troglodita na sala de musculação. "Ficar gigante já está ultrapassado. Os homens buscam o perfil que está na passarela da moda, um visual mais andrógino."

A verdade é que nunca se cogitou homem marombado no mundo da moda, afirma Anderson Baumgartner, diretor da agência Way Model. "O músculo não pode marcar a roupa." Quando um jovem em começo de carreira lhe pede um conselho, Baumgartner o incentiva a malhar. Entretanto, deixa bem claro: é para ficar magro.

Exercício "De mulher"

Esse corpo masculino da vez foi o destaque da edição de novembro da "Details", revista norte-americana queridinha entre gays e metrossexuais. A revista destaca que muitos homens estão "aprendendo a apreciar os exercícios de alongamento e tonificação que as mulheres vêm utilizando há anos para esculpir seus corpos".

Nessa pegada, o empresário Agnaldo Vecchi, 45, radicalizou. Há seis meses, abriu mão do levantamento de pesos e passou a manter a forma apenas com ioga e pilates --algo inconcebível para adeptos dos urros na hora de suportar aquela supercarga no supino.

"Estou muito satisfeito. Hoje tenho um abdômen mais rígido do que quando fazia musculação", diz.

Para obter o físico dos modelos de publicidade de cuecas, o pilates é a bola da vez.

Tomas Truzzi, 27, que trabalha no mercado financeiro, praticava musculação. Ficou muito repetitivo. Há três anos, inseriu pilates em sua programação de atividades físicas na Cia Athletica.

"Precisava mudar o estímulo e vi que o pilates era uma forma de manter uma boa postura. Mas a maior contribuição é o conhecimento do corpo", diz ele, que também ganhou flexibilidade. "Você consegue isolar o músculo melhor, o que ajuda a não roubar na hora de levantar peso."

Força e resistência

O instrutor norte-americano Tim Fleisher, da rede Pilates StudioFit, é especialista em público masculino. Ele sabe que, para não perder seus alunos, precisa se aproximar deles de uma forma diferente. Os exercícios devem focar mais os membros superiores e têm que desafiar a força e resistência muscular.

"O pilates pode até mesmo ajudar os caras grandes, porque mexe com músculos menores, que geralmente não são trabalhados durante a malhação", explica Fleisher.

Porém, é necessário sensibilidade para manter grandalhões no estúdio. Algumas palavras são proibidas, diz o o instrutor. "Assoalho pélvico", por exemplo, é termo tabu para eles. O exercício de flexão lateral de coluna chamado "sereia" ganha o nome de "escavadeira", na versão testosterona do pilates.

Barriga de gestante

"O pilates presta atenção a detalhes e evita abdômen de grávida", alardeia Fleisher, referindo-se a homens que ficam com a barriga projetada por excesso de músculos.

Na prática, o foco principal são os músculos laterais do abdômen, responsáveis por garantir o tanquinho dos sonhos: seis "gomos" bem definidos e barriga chapada.

Aos poucos, os homens deixam o preconceito de lado e encaram aulas femininas.

Por exemplo o economista Mário Gardano, 55, que trocou musculação por ginástica localizada, e comemora os resultados, apesar das piadas de colegas. "A aula é muito mais dinâmica. Estou muito mais definido do que quando fazia musculação."

Já o caminho do funcionário público Rafael Cavalcante, 27, foi inverso. Da ginástica foi parar na musculação. Começou na academia há três anos com o foco em exercício aeróbico para emagrecer --perdeu 15 quilos.

Rafael pegou gosto e hoje faz, entre outras coisas, "jump", aula em que o praticante salta em cama elástica. "No início, era desengonçado. Agora, sigo a coreografia. Sou quase um expert."

Ele faz musculação, mas rechaça o visual marombeiro, mesmo malhando cinco vezes por semana. "Não quero andar de asa aberta, perder a elegância", diz, referindo-se aos musculosos que caminham de braços abertos por causa do tórax inchado. E segue a luta infinita pelo corpo da vez.

7 de dez de 2010

Olhos revelam efeito da poluição no coração, diz estudo.

Altos níveis de poluição reflete na constrição das artérias da retina.
Falta de qualidade do ar e tempo de exposição envelhece os microvasos.

Fotos digitais de microartérias do fundo do olho permitem observar diretamente como vasos sanguíneos que irrigam o coração se contraem sob os efeitos da poluição do ar, segundo estudo publicado nesta terça-feira.

Este trabalho permite revelar que pessoas com boa saúde expostas a altos níveis de poluição sofrem uma constrição das artérias da retina, sinal de um risco mais elevado a desenvolver doenças cardiovasculares, explicaram os autores deste estudo divulgado na PloS Medicine, publicação na internet da Biblioteca Pública de Ciência dos Estados Unidos. Trabalhos anteriores já haviam estabelecido um vínculo entre a poluição do ar e as doenças cardíacas.

Mas este último estudo, feito com 4.607 participantes entre pessoas de 45 a 84 anos durante dois anos, é aparentemente o primeiro a examinar os efeitos da poluição nos vasos pequenos, chamados microvasos, dos humanos, segundo Sara Adar, da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Michigan (norte), uma das co-autoras da pesquisa.

Em pouco tempo

Durante um período de dois anos, os cientistas mediram os níveis de partículas finas em suspensão no ar nas pessoas que participaram do estudo antes de fazer exame de fundo de olho para avaliar a exposição à contaminação a curto prazo.

Nenhum dos participantes tinha antecedentes de problemas cardíacos. O estudo mostra que quem esteve exposto durante curtos períodos ao ar pouco contaminado tinha microvasos sanguíneos equivalentes aos de uma pessoa três anos mais velha.

Mas as pessoas expostas a um ar fortemente contaminado durante períodos prolongados tinham microvasos de alguém sete anos mais velho, o que se traduz em "um crescimento de 3% das doenças cardíacas em quem vive em áreas menos contaminadas", disseram os autores.

6 de dez de 2010

Academias inovam com funcional, dança e circo para o Verão 2011.

Conheça as novidades que serão os assuntos dos seus alunos.
Aulas privilegiam a corrida, o treinamento funcional e a dança.

http://www.educacaofisica.com.br/destaques/home/imagens/3011_15.jpg

Pensando na temporada de verão, as academias não poupam em criatividade. Apostam em novas modalidades ou dão um jeito de atualizar as campeãs de audiência.

Nas piscinas, por exemplo, é possível fazer até aula de surfe. Já nas aulas de aeróbica, entre os hits do momento estão temas de musicais da Broadway e a energética mistura de ritmos latinos (funk, street, dance, techno, hip-hop e jazz). Novos equipamentos também estão entre as novidades – destaque para o gymstick, cujo objetivo é o fortalecimento e a tonificação de todos os grupos musculares.

Com o interesse crescente pelas corridas de rua, as academias também oferecem opções indoor e outdoor para aqueles que querem melhorar o condicionamento físico e buscam aperfeiçoar a técnica na modalidade. Confira a seleção de opções que o Delas separou para quem adora uma novidade.

FUNCIONAIS

Jukari Fit to Fly: sucesso em países como Estados Unidos e China, a modalidade criada pela equipe do Cirque Du Soleil chega ao Brasil com exclusividade na academia Reebok Sports Club, em São Paulo. A aula tem 45 minutos de duração (com gasto energético em torno de 400 calorias), comporta até 11 alunos por sessão e é ministrada por professoras treinadas no Exterior. Trapézios presos ao teto permitem movimentos que trazem a gostosa sensação de vôo, enquanto fortalecem e alongam o corpo. O treino, que mistura condicionamento cardiovascular e muscular, utiliza os fundamentos do treinamento funcional, a mais nova tendência em fitness. Foi desenvolvida também uma versão para atender ao público masculino, priorizando o trabalho de força.

Cia Funcional: o treinamento funcional suspenso, que utiliza o equipamento oficial TRX, é a aposta da Cia Athletica – rede com unidades em São Paulo, São José dos Campos, Ribeirão Preto, Campinas, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, Belém e Manaus. Consiste em alças com manoplas, fixadas ao teto, que mantêm o corpo “pendurado” e controlado pela força do próprio praticante. A aula é feita em grupo e tem foco no condicionamento físico, na definição muscular e no aprimoramento do equilíbrio e da postura. Uma aula de 45 minutos queima entre 450 e 600 calorias.

Gymstick: exclusividade da academia Runner, em São Paulo, o treinamento com o gymstick (um aparelho que une elástico e barra) foi desenvolvido na Finlândia e tem foco no fortalecimento e na tonificação de todos os grupos musculares. A modalidade pode ser praticada por pessoas de todas as idades e níveis de condicionamento e também é aliada de pacientes em recuperação de lesões ou cirurgias. Com mais de 350 exercícios catalogados, promete fortalecimento do abdômen e diminuição da gordura corporal, entre outros benefícios. Os treinos têm duração de até 60 minutos e com perda calórica de até 700 calorias por aula.

DANÇA

Broadway, Clip e Belly Dance: a Fórmula Academia, de São Paulo, aposta na dança e lança três novas aulas. A Broadway Dance leva o mundo dos musicais de Nova York para dentro da academia, em 60 minutos de malhação no clima de espetáculos como Cat’s, Les Misérables, Chicago e Cabaret. Já a Clip Dance é dedicada aos videoclipes que fazem sucesso na internet e o aluno pode incorporar estrelas como Beyoncé, Lady Gaga ou relembrar Patrick Swayze e Jennifer Grey no filme clássico dos anos 90 Dirty Dacing. Por fim, a sedutora dança do ventre aparece em movimentos graciosos e suaves na Belly Dance. Como exercícios aeróbicos, as três modalidades trazem benefícios para o sistema cardiovascular, além de aumentar resistência física, flexibilidade, coordenação motora e melhorar a auto-estima.

Dance Mix: em ritmo de balada, a aula da Academia Fórum Exere Fitness, do Rio de Janeiro, alia passos de dança a exercícios que fortalecem abdômen e região dorsal. Com duração de uma hora, trabalha coordenação motora, equilíbrio, condicionamento e resistência muscular, além de queimar de 350 a 400 calorias.

Hopping: oferecida pela Cia Athletica, a modalidade foi criada a partir do calçado suíço Kangoo Jumps, que tem sistema exclusivo para absorver até 80% do impacto em atividades físicas. Trata-se de uma aula cardiovascular que combina movimentos coreografados de aeróbica e corrida. Promove rápida queima de gordura (até 800 calorias em 45 minutos de atividade), melhora o sistema cardiovascular, gera ganho de massa óssea e muscular.

Sh´Bam: febre na Europa, a aula de dança que mescla vários ritmos (funk, street, dance, techno, hip-hop e jazz) acaba de desembarcar no Brasil. São passos simples e precoreografados, que não exigem nenhuma habilidade especial do praticante. As músicas remetem ao clima de uma balada e o aluno queima calorias dançando (cerca de 300 em 45 minutos). O programa da Les Mills Internacional foi trazido pela Body Systems Latin America e é oferecido pela Bio Ritmo Academia – com unidades em São Paulo, Limeira, Piracicaba, Santo André e Belém.

CORRIDA E CAMINHADA

Running Mix: aula diferente e divertida criada pela Body Planet Fitness, do Rio de Janeiro, para melhorar o condicionamento físico. A modalidade propõe corrida na esteira intercalada com exercícios funcionais. Cada aula dura cerca de 50 minutos, alternando quatro minutos de corrida com quatro minutos de exercícios, feitos em cinco estações, totalizando seis séries. Com isso, toda a musculatura é exigida.

Praia Velox: nada mais com cara de verão do que praia. E pensando nisso, a Academia Velox Fitness, no Rio de Janeiro, levou seus alunos para atividades ao ar livre, nas areias de Ipanema ou na orla da Lagoa Rodrigo de Freitas. O Praia Velox engloba atividades de running outdoor (areia e asfalto), vôlei de praia e treinamento funcional na areia. As atividades trabalham condicionamento, resistência, força e flexibilidade, em clima descontraído e motivador.

Quality Walk: uma das novidades da academia Competition, em São Paulo, é a aula de caminhada nas esteiras, para quem deseja iniciar uma atividade física ou melhorar o condicionamento. De maneira simples e prazerosa, é possível realizar este exercício aeróbico com intensidade variada, respeitando os limites individuais, já que as turmas reúnem pessoas de todas as idades.

NA ÁGUA

Condicionamento Surfe e Water Cycle: modalidades perfeitas para o verão. A primeira trabalha condicionamento específico para o surfe, em uma aula de 60 minutos que inclui treinamento de remadas em prancha, apnéias e exercícios abdominais. Já a Water Cycle é uma hidroginástica realizada em bicicleta especialmente desenvolvida para a piscina. Melhora o condicionamento físico e tem alto gasto calórico (até 700 calorias por aula). Ambas são oferecidas pela Reebok Sports Club, em São Paulo.

ZEN

Bioginástica: a aula, que combina os movimentos dos animais com fundamentos de esportes, é a atração da temporada no estúdio YogaFlow, em São Paulo. A técnica – que reúne referências do kempô, movimento dos animais, tai chi, expressão corporal, jiu-jítsu e ioga – trabalha força, flexibilidade, resistência e coordenação neuromuscular de maneira lúdica, em 1h15 de movimentos.

4 de dez de 2010

Madonna lança academia no México, a primeira de uma rede.

2.787 metros quadrados com aulas de ginástica e dança.
"Forte ligação" com o México colocou o país como primeira opção.

Madonna lançou sua nova rede de academias "Hard Candy Fitness" na Cidade do México, na segunda-feira, inaugurando o espaço enorme de 2.787 metros quadrados. Direcionado ao consumidor de alta renda a academia contará com aulas de dança e ginástica inspiradas nas sessões de malhação da cantora. A aula inaugural, aliás, contou com a popstar como professora de luxo para um grupo seleto de alunos escolhidos a dedo por sua equipe.

Por que Madonna escolheu uma metrópole de cerca de 20 milhões de habitantes que enfrenta a criminalidade, a poluição e engarrafamentos intermináveis para lançar um empreendimento esportivo internacional que pode acabar incluindo academias no Brasil, Argentina e Rússia? "Tenho uma história com o México", disse ela à Reuters. "Sempre senti uma ligação com este país, devido ao interesse que tenho por Frida Kahlo", afirmou, aludindo a uma das pintoras mais conhecidas do século 20. Centenas de fãs, incluindo garotos trajando camisetas que diziam "os mexicanos fazem melhor" e drag queens, fizeram fila diante da academia numa tentativa infrutífera de vislumbrar a cantora, que chegou sob forte esquema de segurança. Entre os convidados à inauguração da academia estavam o prefeito da Cidade do México, Marcelo Ebrard, e Carlos Slim Domit, filho do homem mais rico do mundo, Carlos Slim.

Em entrevista sobre o novo empreendimento, a cantora contou que se prepara para mais um ano agitado em 2011, que vai incluir um novo filme e um álbum na sequência do bem-sucedido "Hard Candy". Indagada se vai buscar novas colaborações, com fez com astros como Justin Timberlake, ela disse apenas que está trabalhando com outros artistas.

Assista abaixo um video de apresentação da academia ou acesse http://bit.ly/MadonnaEF