29 de nov de 2009

Tire suas dúvidas sobre o uso do Botox

Dermatologista esclarece onde é válido fazer aplicações e desmente mitos

Getty Images

Foto por Getty Images

Botox é aplicado diretamente no músculo responsável
pela formação da ruga e atua relaxando a musculatura

Utilizada há 20 anos na medicina estética, a toxina botulínica tipo A revolucionou a estética mundial e é, até os dias atuais, um dos procedimentos estéticos mais realizados em todo o mundo em diferentes setores da medicina. A técnica de aplicação evoluiu muito e continua sendo constantemente aperfeiçoada, sempre em busca de excelência e naturalidade dos resultados.

Algumas dúvidas e equívocos sobre ele, no entanto, ainda surgem por aí. Abaixo a dermatologista Bhertha Tamura esclarece as principais e derruba os grandes mitos sobre o procedimento.

O Botox, nome comercial dado pela primeira indústria fabricante, a Allergan, é extraído da bactéria Clostridium Botulinum, encontrada no veneno das cobras.

1 - O Botox pode ser utilizado para aumentar o volume dos lábios?

Não. Esta é uma das principais dúvidas sobre o tratamento com a toxina. É importante reforçar que a toxina botulínica tipo A não tem capacidade de aumentar o volume dos lábios; ela apenas relaxa a musculatura onde é injetada, tratando as rugas de expressão, ou seja, as rugas formadas pela ação dos músculos e visíveis com a movimentação facial. Desta forma, ela pode ser indicada para o tratamento daquelas rugas que se formam ao redor da boca, mas nunca oferecerá ganho de volume nesta região. O tratamento indicado para aumento de volume dos lábios é o preenchimento labial, que além do volume também pode ser utilizado para a redefinição de contorno labial.

2 – O Botox pode paralisar o músculo, deixando o paciente sem expressão?

Não. Aqui está mais um grande mito sobre este tratamento! A toxina botulínica tipo A é aplicada diretamente no músculo responsável pela formação da ruga e atua relaxando a musculatura. Este relaxamento por ser mais ou menos intenso, dependendo da dosagem e técnica de aplicação. Atualmente, o tratamento é individualizado para cada paciente, considerando as características e expectativas de cada caso, o que garante resultados cada vez mais naturais e satisfatórios.

3 - O Botox vicia?

Não existe nenhuma evidência científica de que a aplicação da toxina botulínica tipo A cause dependência ou vício. O que existe é um alto grau de satisfação dos pacientes tratados, que, geralmente, querem repetir o procedimento.

4 – Os cremes anti-rugas oferecem resultados similares ao tratamento com o Botox?

Não. Apesar de muitos cremes prometerem resultados iguais aos obtidos com a aplicação de toxina botulínica tipo A, este é mais um mito. Primeiramente é importante reforçar que não existe nenhum creme com toxina botulínica tipo A em sua formulação. Além disso, os cremes agem superficialmente na pele, melhorando a hidratação e atenuando as rugas mais finas. Já a toxina atua diretamente no músculo responsável pela formação das rugas de expressão. Portanto, os cremes atuam de forma diferente e não são capazes de reproduzir resultados comparáveis à toxina botulínica tipo A.

5 - O Botox pode substituir uma cirurgia plástica?

Não. As aplicações da toxina botulínica tipo A podem postergar a necessidade de uma intervenção cirúrgica, pois além de atenuar as rugas de expressão, podem prevenir o surgimento de novas rugas pela reeducação da mímica facial. Este tratamento também pode ser uma opção para pacientes com receio aos procedimentos mais invasivos ou mesmo para pacientes que buscam resultados eficazes sem períodos de recuperação. Desta forma, o tratamento com a toxina botulínica tipo A não substitui uma cirurgia plástica, mas pode postergá-la ou ainda ser utilizada como terapia combinada para maximização dos resultados.


25 de nov de 2009

Recomendação diária de consumo de calorias pode estar errada

Quantas calorias pode-se comer por dia?

O cálculo de calorias usado como base nos últimos 18 anos para criar dietas e dar orientações sobre formas de se manter saudável pode estar errado, segundo uma pesquisa.

A versão preliminar de um estudo feito pelo Comitê Científico Consultivo em Nutrição, ligado ao governo britânico, sugere que o consumo diário de calorias poderia ser 16% maior.

Atualmente, a ingestão diária de calorias recomendada pelos órgãos de saúde é de 2 mil para as mulheres e 2,5 mil para os homens.

Mais exercícios e mais hambúrgueres

O comitê, no entanto, salienta que, diante dos atuais níveis de obesidade da população, as pessoas só devem comer mais se se exercitarem mais.

A pesquisa afirma trazer uma avaliação muito mais precisa de como a energia pode ser queimada por meio da atividade física.

Um aumento de 16% no consumo de energia significaria que adultos poderiam ingerir mais 400 calorias por dia, o equivalente a um cheeseburguer.

Ideia perigosa

A proposta da comissão passará agora por um período de 14 semanas de consultas para que, então, as recomendações finais sejam feitas.

Ativistas da área saúde afirmam que as autoridades britânicas deveriam "varrer o relatório para baixo do tapete" para evitar que mensagens erradas sejam passadas para a população, em meio a uma epidemia de obesidade.

Tam Fry, do Fórum Nacional de Obesidade da Grã-Bretanha, afirmou que sugerir que adultos podem comer 400 calorias extras é "uma ideia perigosa".

"Isto não pode ser visto como sinal verde para comer loucamente", disse Fry.

21 de nov de 2009

Teste genético promete revelar qual o melhor tipo de atividade física

Exames prometem revelar qual o melhor tipo de atividade física, vocações e até a capacidade de otimismo de cada indivíduo

O avanço da ciência na identificação dos genes associados às mais variadas características é notável. Também é surpreendente a velocidade com que estão surgindo testes que, segundo seus criadores, apontam predisposições dos mais diferentes matizes. Hoje, há uma variedade impressionante de exames genéticos: para mostrar a aptidão física para um esporte ou dar informações sobre vocações, por exemplo.

No Rio de Janeiro, o laboratório Richet oferece um teste que revela qual atividade física beneficiaria mais um indivíduo. Entre as mutações genéticas avaliadas estão as que aumentam a propensão para males como morte súbita. Se houver risco de morte súbita, a pessoa não deve fazer exercícios aeróbicos sem orientação. Se tiver alterações que indiquem dificuldade para a queima de gordura, os aeróbicos são os mais indicados. A carioca Monalisa Espíndula, 40 anos, fez o teste. "Quero saber até onde posso ir nos treinamentos", diz. Ela corre, faz spinning, musculação e outras atividades.

No laboratório Gene, de Belo Horizonte, existe uma opção que identifica a composição étnica. O teste já foi usado para comprovar a origem africana de candidatos às cotas raciais de universidades. E deu origem ao projeto Raízes Afro-brasileiras, que avaliou o DNA de celebridades, para mostrar a miscigenação no País. A atriz baiana Ildi Silva, 27 anos, descobriu que é 71,3% europeia e apenas 19,5% africana, apesar da pele negra. "Meu avô materno era holandês. Na Bahia tivemos diferentes colonizações e muitas misturas", diz.

Lá fora, a empresa suíça GenePartner tem um kit que promete mostrar se os casais têm boas condições de gerar filhos com um sistema imunológico forte. Para isso, analisa os genes responsáveis pela fabricação de moléculas chamadas HLA, que atuam no sistema de defesa. Quanto mais diferentes as moléculas fabricadas por um e por outro, melhor seria a capacidade de proteção imunológica dos filhos. "Ele é indicado para serviços de relacionamento, em que as pessoas querem informações sobre as outras", disse à ISTOÉ a geneticista Tamara Brown, uma das fundadoras da empresa.

Nos EUA, a companhia DNA Dynasty comercializa um teste que analisa 40 genes que estariam associados ao otimismo, à persistência, atenção, ao talento para a música e pintura, à inteligência e criatividade, entre outras marcas. Pais têm procurado a empresa para saber as vocações de seus filhos.

Testes deste gênero, porém, levantam críticas. "Muitos desses testes não servem para nada", afirma a geneticista Mayanna Zats, da Universidade de São Paulo. "Existem áreas em que o ambiente e as relações sociais são muito mais importantes do que a genética", diz Salmo Raskin, presidente da Sociedade Brasileira de Genética Médica.



por Maíra Magro e Renata Cabral

11 de nov de 2009

Avaliação física faz uso de métodos inovadores

Praticar exercícios traz grandes benefícios à saúde. Mas, para tirar o máximo proveito da atividade física é preciso que seja realizada uma avaliação precisa com a ajuda de métodos inovadores

A prática de atividade física já virou hábito para muitos brasilienses, que lotam as academias e parques públicos da cidade. E, embora seja do conhecimento de todos a importância de se ter o aval de um médico para exercitar-se, muitos não levam tal recomendação a sério, traduzindo a boa imagem no espelho ou os números a menos na balança como sinônimo de boa saúde, o que é, segundo o diretor do Centro de Excelência em Medicina do Exercício do Golden Spa, Leandro Vaz, um grande erro. “Realizar exames mais precisos é vantajoso porque garante ganho de saúde e os resultados são alcançados com muito mais rapidez e eficiência”, afirma. De acordo com o especialista, a tecnologia utilizada na área evolui a passos largos, com equipamentos de ponta que atestam um mapeamento corporal preciso do praticante de exercícios.

Um dos novos exames é o dexa, que ganhou destaque na mídia depois que passou a ser utilizado pelo clube paulista Corinthians. Com ele, a antiga avaliação feita com fitas e adipômetro dá lugar ao método de campo, no qual a composição corporal é medida por meio das dobras cutâneas, onde a gordura acumulada abaixo da pele é mensurada com um equação matemática. O exame, que é realizado na capital federal há mais de um ano, quantifica a gordura total por regiões específicas como, por exemplo, a abdominal, que está ligada à síndrome metabólica. “É como se fosse um scanner que, através de feixes de raios-x, avalia os tecidos de forma segmentada, em gramas, assim como as assimetrias apresentadas”, explica o fisiologista do exercício Renato André Silva.

Conforme Renato, o equipamento permite encontrar assimetrias indicativas de desvios de postura, treinamentos errados ou até disfunções neurológicas. Ele pode ser usado antes de começar uma atividade física e, novamente, cerca de dois a três meses depois, para medir os resultados obtidos. O exame dura 30 minutos e é utilizado por profissionais da área para criar treinamentos específicos embasados na avaliação fidedigna do aparelho. “É um exame muito bom porque fornece as porcentagens em partes. Em um treinamento, pode acontecer do aluno não reduzir o peso, mas sim a gordura abdominal”, avalia o professor Rodrigo Albuquerque, da Ápice Assessoria Esportista. “A avaliação tradicional dá um cálculo estimado e não um dado real, como o dexa”, acrescenta ele.

Para Leandro Vaz, o sucesso do método está ligada à sua sensibilidade para detectar alterações mínimas na composição corporal, além de ser extremamente eficiente para os atletas. “Os resultados do check up esportivo conduzem à prescrição adequada de exercícios e dieta, o que potencializa o alcance das metas estabelecidas e a preservação da saúde”. O terapeuta Bruno Saboia, de 32 anos, concorda. “Para o atleta, o exame dá uma noção exata do próprio corpo. No entanto, qualquer pessoa pode fazer para se conhecer melhor e garantir mais saúde ao dia a dia”, garante ele, que pratica atividade física há mais de 20 anos, conheceu o exame há quatro meses e já sentiu diferenças nos treinos.

Treinamento adequado

Outro forte aliado dos esportistas é a calorimetria indireta, desenvolvida pelo Centro de Medicina do Exercício e Nutrição da Espanha, que analisa com exatidão a taxa de metabolismo em repouso. “Pela diferença entre a quantidade de oxigênio no ar inspirado e expirado, o aparelho calcula com precisão quantas calorias o corpo está metabolizando”, esclarece o fisiologista Renato André Silva.

Segundo o especialista, cada metabolismo é único e perceber como ele funciona é essencial para estabelecer o treinamento adequado. “Se seu gasto calórico diário é de 600 calorias, por exemplo, e você ingere essa quantidade já no café da manhã, toda refeição que for feita posteriormente poderá representar um aumento de peso. Por isso algumas pessoas acham que estão se alimentando corretamente, mas não conseguem ver resultado”, salienta o fisiologista.

Ele explica que, durante o exame, o indivíduo fica deitado por cerca de 20 minutos em fazer absolutamente esforço algum, enquanto os dados são coletados. A análise é feita em jejum, quando o corpo não realizou esforço físico e, por isso, preferencialmente pela manhã. “O metabolismo possui indicativos de funcionamento como a pressão sanguínea e o nível de oxigênio no sangue. Mas, só um desses fatores não é suficiente para determiná-lo”, complementa.

Já o teste ergoespirométrico, bastante conhecido do público em geral, avalia a capacidade cardiorrespiratória em uma esteira ergométrica. “O resultado é uma faixa de frequência cardíaca ideal para a queima de gordura e ganho de massa muscular”, ressalta Renato André Silva.

por Natasha Dal Molin

6 de nov de 2009

Processo seletivo Bio Ritmo Academia

A Bio Ritmo Academia esta abrindo o processo seletivo de estagiários e professores de educação física para as áreas de Musculação, Ginástica e Yoga.



Ginástica


:: Vagas para Estagiários (A partir do 4º semestre)


:: Vagas para Formados


Dia 07/11/09 (Sábado)



Musculação


:: Vagas para Estagiários (A partir do 4º semestre)


Dia 14/11/09 (Sábado)



Yoga


:: Vagas para para profissionais com formação em Yoga


Dia 14/11/09 (Sábado)



Material Exigido


Curriculum atualizado com foto anexa e roupa adequada para prática de atividade física



Horário


9hs - Ginástica / Duração de 3hs (chegar com 15 minutos de antecedência)


9hs - Musculação e Yoga / Duração de 2hs (chegar com 15 minutos de antecedência)




Local


Unidade Bio Ritmo Centro


Rua XV de Novembro, 194


Centro (próximo às estações São bento e Sé do metrô)





Obs.:


Será necessário enviar a confirmação de presença para:


seletivaginastica@bioritmo.com.br (Ginástica e Yoga)


seletivamusculacao@bioritmo.com.br (Musculação)

2 de nov de 2009

Capoeira fará revolução na atividade física, afirma Nuno Cobra

Maravilhosa a iniciativa do setor de Reabilitação Desportiva da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente) de implementar a capoeira nas atividades de crianças com deficiência física.

Há mais de dois anos implantado, o projeto demonstra bons resultados médico e terapêutico. As crianças adquiriram melhor equilíbrio, desenvolvimento mental, disciplina e sociabilização.

A capoeira é realmente apaixonante, pois reúne atividade física exigente junto com aspectos artísticos e musicais. Ela alia movimentos de força, coordenação, destreza e equilíbrio dinâmico. Além de se caracterizar por um vigoroso exercício cardiovascular.

O exercício da capoeira exige participação dos grandes músculos do corpo, uma particular coordenação motora com movimentos delicados e bastante rigorosos, como saltos mortais para a frente e para trás.

Com tantas vantagens, a capoeira tem tudo para realizar uma futura revolução no campo da atividade física.

Somente a vigorosa atividade de desempenho cardiovascular, seria o bastante para fazer desse esporte uma das atividades físicas mais significativas. Por ter sido trazida pelos escravos africanos e ter assolado primeiramente a região nordeste, possui um lado cultural muito significativo.

Muitas academias estão utilizando a capoeira em suas atividades. E acredito que ela ainda será matéria obrigatória nas escolas, pois como exercício de luta, possui um extrato filosófico muito importante na formação de crianças e jovens tornando-se, por si só, uma atividade extremamente educacional.

O fato dela exigir regras, respeito, atitudes de competitividade e solidariedade leva a um conceito filosófico de luta e respeito muito importante, aliando a idéia de competência e resultado. Como todas as lutas, promove a formação do caráter e da personalidade. A capoeira leva o aluno, através do estimulo artístico, musical e atlético a uma plenitude da sua exuberância, promovendo efeitos da ordem mental, emocional e espiritual.

Capoeira e auto-estima

A exigência de movimentos acrobáticos é um fator a mais no desenvolvimento da auto-estima, fator crucial numa sociedade de formação ‘anulante’ que tira da criança e do jovem o auto-respeito e a auto-admiração: elementos fundamentais no sucesso em qualquer profissão. Ela possui ainda um poder de socialização de rara grandeza, pois emana, através dos grupos de combate, uma amizade solidificada através dos treinamentos. Essa integração social irá ajudar o jovem no futuro, quando esse tiver que trabalhar em equipe dentro das empresas.

Quem pode praticar capoeira?

É um esporte que pode ser praticado em qualquer idade, por qualquer pessoa, em qualquer situação, pois pela sua própria forma de ser, acaba se encaixando no nível de intensidade e exigência tanto cardiovascular, como muscular localizado, no nível que lhe for possível, de acordo com suas condições especificas, independente do seu preparo físico, orgânico ou muscular.

Com treino você se aprofunda ate adquirir um nível de excelência. A capoeira vai de uma simples brincadeira na areia, até complexas acrobacias próprias de ginastas olímpicos, esta é a sua grandeza.

Nuno Cobra é formado pela Escola de Educação Física de São Carlos e pós-graduado pela Universidade de São Paulo. Foi preparador físico de Ayrton Senna, Mika Hakkinen, Rubens Barrichello, Abílio Diniz entre outros. É autor do best-seller A Semente da Vitória

por Nuno Cobra