9 de jul de 2009

Faça do seu cão um ótimo personal trainer

Dá até para queimar gordura, se encarar o passeio como atividade física



Falta estímulo para ir à academia e pegar pesado no treino? Nessa hora, vale apostar em qualquer tipo de incentivo para levantar do sofá - até mesmo contar com a ajuda do seu cachorro. Já que o bichano também precisa passear e se exercitar, que tal fazer dele o seu companheiro de caminhada?

"A atividade regular, em conjunto com o cão, é bastante válida para o condicionamento físico físico de um indivíduo que tem o perfil de vida sedentária", avalia o professor de ginástica Marcelo Jaime Vieira, da academia Bio Ritmo, de São Paulo.

Porém, para obter os benefícios da prática, a pessoa deve estar ciente que está realizando uma atividade física. Não vale, por exemplo, sair passear com o cachorro usando chinelo e calça jeans. Tem que usar um tênis com bom amortecimento, que seja apropriado para a caminhada e roupas leves. Além de dar atenção para a respiração correta e contração do abdômen durante o treino.

Cão e dono no mesmo pique



Mesmo praticando uma atividade de intensidade leve a moderada - já que o dono precisa respeitar o ritmo do animal -, o aperfeiçoamento para a qualidade de vida e para a saúde é grande. Além das melhorias do condicionamento físico geral do organismo, há o desenvolvimento do sistema cardiorespiratório, da postura e redução de gordura corporal. "Uma caminhada moderada leve de 30 minutos podem queimar, em média, 200 a 300 calorias", diz Marcelo Vieira.

"Durante caminhada com o cão, o dono vai realizar movimentos de deslocamentos para frente , para trás e laterais, desvios, vai trabalhar força ao controlar o animal com a guia...Tudo isso vai colaborar para dar mais equilíbrio, mais agilidade, melhoria de reflexos e postura", avalia o professor da Bio Ritmo.

Ações divertidas como jogar a bolinha ou lançar um prato plástico (frisbee) para o bichano também ajudam o corpo a ficar mais inteligente. "O indivíduo, antes sedentário, vai recuperar sua memória neural de movimentos naturais - lançar, empurrar, saltar, puxar, correr e andar - que o corpo conseguia realizar, mas que estava com a atividade muscular limitada", acrescenta Marcelo Vieira.

Cuidados com o cão Um aspecto fundamental para quem realiza exercícios com o mascote é acompanhar o ritmo do animal - e não o contrário. "O cão tem muito mais agilidade que o homem , mais menor resistência física, por isso cansa muito mais rápido", explica o adestrador Joel Soares Andrade, da empresa de adestramento Cão em Forma, de São Paulo. Ele dá dicas de cuidados para se ter com o cachorro durante os exercícios.

- Antes de dar a largada, converse com seu veterinário para entender as condições físicas do seu cão. Algumas raças, como o buldog, cansam facilmente e não suportam longas caminhadas;

- O recomendado são caminhadas tranquilas, sem trancos, com 30 a 40 minutos de duração;

- Após a atividade e nas pausas, dê água na temperatura ambiente para o cachorro. Evite dar água gelada ou gelo, porque podem provocar um choque térmico;

- Evite correr com o animal. É um estimulo inadequado, que condiciona o animal para isso, e, futuramente, tornará o passeio e a caminhada impossíveis , diz Joel;

- Não utilizar a guia peitoral , pois restrige a atividade motora do animal;

- O enforcador ou coleira irão facilitar a condução do cachorro.

Nenhum comentário: