13 de fev de 2010

O que você come depois da ginástica pode fazer a diferença

Benefícios de curto prazo

Muitos dos benefícios à saúde gerados pelos exercícios aeróbicos são devidos à sessão de exercícios mais recente, em vez de resultarem dos benefícios acumulados de semanas, meses e até anos de treinamento físico.

Além disso, a natureza desses benefícios pode ser significativamente afetada pelo alimento ingerido logo após a sessão de exercícios.

A conclusão é de um estudo feito na Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, e que acaba de ser publicado no Journal of Applied Physiology.

Benefícios dos exercícios físicos

"Diferenças no que você come após os exercícios produzem diferentes efeitos sobre o metabolismo do corpo," disse o autor sênior do estudo, Jeffrey F. Horowitz.

Este estudo surge na esteira de vários estudos anteriores que demonstram que muitos benefícios à saúde dos exercícios físicos são transitórios: uma sessão de exercícios produz benefícios para o corpo que se esvaem rapidamente, geralmente dentro de horas ou alguns dias.

"Muitas das melhorias na saúde metabólica associadas com os exercícios físicos fundamentam-se em grande parte na mais recente sessão de exercícios, e não em um aumento do preparo físico per se,", diz o Dr. Horowitz. "Mas os exercícios físicos não ocorrem em um vácuo, e é muito importante olhar tanto para os efeitos dos exercícios, quando para o que você está comendo após o exercício."

Sensibilidade à insulina

Especificamente, o estudo constatou que o exercício melhora a sensibilidade à insulina, particularmente quando as refeições ingeridas após a sessão de exercícios contêm teores relativamente baixos de carboidratos.

Uma maior sensibilidade à insulina significa que é mais fácil para o organismo levar o açúcar do sangue para os tecidos, como os músculos, onde ele pode ser armazenado ou utilizado como combustível.

Uma sensibilidade ruim à insulina (ou seja, "a resistência à insulina") é uma característica do diabetes tipo II, além de ser um importante fator de risco para outras doenças crônicas, como doenças do coração.

Quanto comer após a ginástica

Curiosamente, quando os participantes da pesquisa ingeriram alimentos relativamente pobres em termos de calorias logo após o exercício, isto não melhorou a sensibilidade à insulina mais do que quando comeram calorias suficientes para repor o que gastaram durante o exercício.

Isso sugere que você não precisa passar fome depois do exercício para colher alguns dos importantes benefícios à saúde. Mas, se seu objetivo é queimar calorias, não adianta repô-las todas logo após a ginástica.

Os cientistas agora estão realizando experiências com pessoas obesas, com o objetivo de identificar melhor a quantidade mínima de exercício capaz de melhorar a sensibilidade à insulina, pelo menos até o dia seguinte.

Nenhum comentário: