7 de fev de 2010

Conheça o check list para se matricular na academia

Saiba o que o local de prática precisa ter para garantir uma malhação eficiente e segura

Deixar o sedentarismo de lado para começar a ginástica não é tarefa fácil. Entre as dúvidas que assolam quem decide praticar alguma atividade física, a primeira delas, em geral, é como escolher um bom lugar para exercitar-se.

Ao contrário do que muitos pensam, o tamanho da estrutura física do local e a quantidade de aparatos tecnológicos não são elementos essenciais na definição de uma boa academia.

“A tecnologia pode ajudar o aluno a se organizar melhor, a garantir a segurança dele, mas não é primordial. Hoje há uma supervalorização da estrutura em detrimento do serviço”, avalia Marcelo Ferreira Miranda, membro da diretoria do Conselho Federal de Educação Física e dono da academia M3, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.

“Algumas academias colocam a tecnologia no front para vender o produto, mas esquecem da qualidade do serviço”, alerta Fábio Saba, professor e mestre em Educação Física pela Universidade de São Paulo. O que realmente importa para garantir uma malhação segura e eficiente pode não estar assim tão visível aos olhos.

Profissionais competentes

O primeiro ponto a ser observado na hora de escolher a academia são os profissionais, já que eles serão os responsáveis pela avaliação, pelo treino e pela posterior evolução do aluno. Eles devem ser credenciados no Conselho Federal de Educação Física, órgão que regulamenta a profissão e o funcionamento das academias. Do contrário, estarão exercendo ilegalmente a profissão e podem ser processados por isso.

“Antigamente, uma pessoa que fazia musculação por muitos anos, acabava virando professor dessa modalidade. Com a criação do Conselho, a formação superior passou a ser exigida e as normas éticas e de conduta devem ser obedecidas”, relata Marcelo Miranda.

O aluno pode pedir para ver o currículo dos profissionais e avaliar sua formação. Nesse momento, vale perguntar se a academia oferece ou estimula a atualização profissional, aconselha Fábio Saba. Para ele, simpatia e comprometimento, não só dos professores, mas de todos os profissionais que trabalham no estabelecimento, também devem ser considerados.

Além disso, o número de professores disponíveis deve ser condizente com a quantidade de matriculados, de tal forma que o profissional consiga dar atenção individualizada ao aluno nas primeiras sessões e acompanhar se o programa proposto está sendo feito de forma adequada.

“Não existe um número predeterminado, mas quando todos os alunos já estão com treinos prontos, um professor para cada 15 pessoas está bom. Quem está começando deve ter assistência individual. Algumas academias até marcam horário na primeira semana”, afirma Marcelo Miranda.

Infra-estrutura adequada

No momento de avaliar o ambiente, não se deixe levar somente pela beleza do local. O espaço deve ser agradável, mas precisa principalmente estar impecavelmente limpo, além de ter luz e ventilação naturais. “A ventilação é bastante importante, porque está diretamente relacionada com a saúde”, avalia Fábio Saba.

Outra questão importante: a academia precisa ter alvará de funcionamento expedido pela vigilância sanitária, que irá avaliar a existência de um ambulatório médico adequado, o abastecimento com água tratada, o revestimento de materiais com acabamento, o estado de conservação e higiene dos ambientes, a segurança contra incêndio e diversos outros pontos.

No quesito equipamentos, eles têm que ser seguros, facilmente adaptáveis, certificados, passar por manutenção e limpeza constantes, além de estarem disponíveis em número suficiente para atender aos alunos. Segundo Marcelo Miranda, não é possível mensurar uma quantidade de aparelhos, mas é necessário ter uma variedade que permita trabalhar todos os músculos do corpo.

Avaliações

Desconfie se a academia não exigir atestado médico periódico para a prática do exercício ou não fizer uma avaliação inicial minuciosa. É preciso medir o nível de força, o nível de condicionamento físico e a capacidade de cada pessoa. Para Fabio Saba, a academia precisa ter um roteiro e criar uma rotina para o aluno, não só de exercícios, mas também de avaliações constantes, para que o objetivo seja alcançado sem lesões.

Chek-list

As dicas valem tanto para quem quer escolher um lugar, quanto para quem quer avaliar se a sua academia está dentro dos parâmetros. Anote:

:: Toda academia deve exigir a apresentação de um atestado médico regularmente. Se a sua não pediu, desconfie

:: O aluno deve passar por uma avaliação física feita por profissional especializado

:: Uma em cada seis academias em São Paulo é clandestina, portanto, confira no site do Conselho Federal de Educação Física se o local é regulamentado e se os profissionais têm registro

:: Aparelhos de ginástica devem ser seguros, adaptáveis e em número suficiente para atender os alunos

:: Verifique se a academia tem alvará de funcionamento concedido pela Vigilância Sanitária

:: Dê preferência para locais com luz e ventilação naturais

:: Número de professores deve ser adequado ao número de alunos. Preste atenção se as pessoas estão sendo observadas e corrigidas

:: Visite a academia em diferentes horários, principalmente naquele em que você pretende freqüentá-la

:: Não existe uma quantidade certa de aparelhos, mas você deve ser capaz de conseguir exercitar todos os músculos do corpo

Nenhum comentário: