29 de nov de 2009

Tire suas dúvidas sobre o uso do Botox

Dermatologista esclarece onde é válido fazer aplicações e desmente mitos

Getty Images

Foto por Getty Images

Botox é aplicado diretamente no músculo responsável
pela formação da ruga e atua relaxando a musculatura

Utilizada há 20 anos na medicina estética, a toxina botulínica tipo A revolucionou a estética mundial e é, até os dias atuais, um dos procedimentos estéticos mais realizados em todo o mundo em diferentes setores da medicina. A técnica de aplicação evoluiu muito e continua sendo constantemente aperfeiçoada, sempre em busca de excelência e naturalidade dos resultados.

Algumas dúvidas e equívocos sobre ele, no entanto, ainda surgem por aí. Abaixo a dermatologista Bhertha Tamura esclarece as principais e derruba os grandes mitos sobre o procedimento.

O Botox, nome comercial dado pela primeira indústria fabricante, a Allergan, é extraído da bactéria Clostridium Botulinum, encontrada no veneno das cobras.

1 - O Botox pode ser utilizado para aumentar o volume dos lábios?

Não. Esta é uma das principais dúvidas sobre o tratamento com a toxina. É importante reforçar que a toxina botulínica tipo A não tem capacidade de aumentar o volume dos lábios; ela apenas relaxa a musculatura onde é injetada, tratando as rugas de expressão, ou seja, as rugas formadas pela ação dos músculos e visíveis com a movimentação facial. Desta forma, ela pode ser indicada para o tratamento daquelas rugas que se formam ao redor da boca, mas nunca oferecerá ganho de volume nesta região. O tratamento indicado para aumento de volume dos lábios é o preenchimento labial, que além do volume também pode ser utilizado para a redefinição de contorno labial.

2 – O Botox pode paralisar o músculo, deixando o paciente sem expressão?

Não. Aqui está mais um grande mito sobre este tratamento! A toxina botulínica tipo A é aplicada diretamente no músculo responsável pela formação da ruga e atua relaxando a musculatura. Este relaxamento por ser mais ou menos intenso, dependendo da dosagem e técnica de aplicação. Atualmente, o tratamento é individualizado para cada paciente, considerando as características e expectativas de cada caso, o que garante resultados cada vez mais naturais e satisfatórios.

3 - O Botox vicia?

Não existe nenhuma evidência científica de que a aplicação da toxina botulínica tipo A cause dependência ou vício. O que existe é um alto grau de satisfação dos pacientes tratados, que, geralmente, querem repetir o procedimento.

4 – Os cremes anti-rugas oferecem resultados similares ao tratamento com o Botox?

Não. Apesar de muitos cremes prometerem resultados iguais aos obtidos com a aplicação de toxina botulínica tipo A, este é mais um mito. Primeiramente é importante reforçar que não existe nenhum creme com toxina botulínica tipo A em sua formulação. Além disso, os cremes agem superficialmente na pele, melhorando a hidratação e atenuando as rugas mais finas. Já a toxina atua diretamente no músculo responsável pela formação das rugas de expressão. Portanto, os cremes atuam de forma diferente e não são capazes de reproduzir resultados comparáveis à toxina botulínica tipo A.

5 - O Botox pode substituir uma cirurgia plástica?

Não. As aplicações da toxina botulínica tipo A podem postergar a necessidade de uma intervenção cirúrgica, pois além de atenuar as rugas de expressão, podem prevenir o surgimento de novas rugas pela reeducação da mímica facial. Este tratamento também pode ser uma opção para pacientes com receio aos procedimentos mais invasivos ou mesmo para pacientes que buscam resultados eficazes sem períodos de recuperação. Desta forma, o tratamento com a toxina botulínica tipo A não substitui uma cirurgia plástica, mas pode postergá-la ou ainda ser utilizada como terapia combinada para maximização dos resultados.


Nenhum comentário: